Você sabe como o continuous testing funciona? Conhece sua importância no processo de desenvolvimento de software? Então vem com a gente, que neste artigo iremos explicar tudo de forma simples e prática!

O continuous testing tem como função testar todas as etapas existentes no desenvolvimento de software, da fase de planejamento até a implantação, pois como o nome já diz, é um teste contínuo.

Funciona como um processo de feedback rápido e busca minimizar riscos como bug’s e falhas. Voltado para automação, esse teste requer uma transformação de processos, pessoas e tecnologias em conjunto, utilizando-se de métodos novos e também já existentes, visando solucionar falhas de forma mais rápida e com qualidade!

O Continuous Testing é a aplicação de testes automatizados como parte do pipeline de entrega de software, dentro do DEVOPS. Mas o que é DEVOPS? DEVOPS é a junção das palavras “Desenvolvimento” (Development) com “Operações” (Operation) e, também, é um modelo que busca simplificar as etapas do desenvolvimento de processos, integração entre as áreas e tempo de resposta ao cliente. Basicamente o Continuous Testing é uma prática do DEVOPS.

Existem várias vantagens em realizar testes contínuos automatizados, acompanhados de feedback e apoiados por ferramentas e estratégias, por exemplo:

  • Cobertura de risco de negócio;
  • Redução de custos;
  • Acelerar a entrega, o que garante a qualidade;
  • Teste como base do processo de desenvolvimento;
  • Feedback em todos os estágios da cadeia de produção (Pipeline);
  • Revisar e otimizar continuamente.

É importante ressaltar que o continuous testing nos proporciona rápido feedback, mas também muitas possibilidades de métricas. Abaixo, algumas Métricas que podem auxiliar na decisão sobre utilizar o continuos testing:

  • Percentual de testes instáveis – testes que hora mostram falhas hora não mostram;
  • Cobertura dos testes;
  • Tempo de execução;
  • Defeitos detectados;
  • Taxa de falhas de alterações (Change Fail Rate);
  • Tempo de espera (casos de testes muito longos);
  • Frequência de deploy.

Acrescentamos algumas dicas para sua medição:

Além do continuous testing, existem três outros grupos de execução de testes que atuam em diferentes momentos dentro da pipeline e contribuem para uma melhor performance do continuous testing, sendo eles:

  1. Smoke Tests

São testes de verificação dentro da pipeline, e executado em um conjunto de cenários para verificar falhas e funcionalidades.

  1. Regression Tests

Esses testes são feitos para retestar tudo o que está fora da pipeline e tem como função verificar se o processo continua o mesmo sem erros.

  1. Performance Tests

São testes de regressão fora da pipeline, como por exemplo testes de carga, estresse e resistência. Esse processo ocorre de forma programada.

Agora você compreende a importância do continuous testing para o seu Software, já que permite agilizar o tempo de entrega, reduzir custos e riscos, além de poder garantir maior qualidade!

 

Por Fábio Cavalcante da Silva e Paloma Milan Araújo Lima.

Referências

https://continuoustesting.dev/

https://zoop.com.br/blog/analises/continuous-testing-o-que-e-como-implementar/

http://www.primeup.com.br/continuous-testing/

https://medium.com/@elisabethmamede/vamos-falar-de-devops-testing-d41e19513d12

https://www.youtube.com/watch?v=63On9nQjyBA

https://www.qulix.com/about/blog/continuous-testing/

https://en.wikipedia.org/wiki/Continuous_testing

https://cloud.google.com/architecture/devops/devops-tech-test-automation?hl=pt-br

https://gaea.com.br/confira-praticas-para-fazer-testes-continuos-de-devops/

https://marco-mendes.com/2018/07/20/os-tres-principios-fundamentais-dos-metodos-ageis-e-do-devops/

https://www.ibm.com/downloads/cas/PRZE3WMX

https://medium.com/@elisabethmamede)