Não é demais ressaltar a criatividade e a solidariedade dos brasileiros em situações de total reclusão. Mais adiante aprofundaremos um pouco mais sobre a reclusão e sua importância. O Brasil decretou situação de calamidade pública em 20/03/2020 e, muito embora muitos brasileiros ainda não tenham compreendido o que isso representa e os riscos a que estamos sujeitos, uma boa parcela de outros brasileiros tem dado um exemplo de solidariedade e compaixão para com aqueles que estão fazendo sua parte, sem sair de casa, em isolamento total.

Profissionais da saúde, dos esportes, artistas e outros, tem ofertado virtual e gratuitamente seus serviços. São shows de rock, mpb, samba, diários, que ajudam a desestressar quem não vê a rua há duas semanas ou mais. Em outros exemplos temos aulas de ginástica, que podem ser realizadas na sala de casa, utilizando sacos de arroz ou malas de viagem, aulas de yoga, dicas de alimentação, recomendações de higienização de frutas e legumes e de nossos corpos, são muitas as possibilidades. Abaixo inseriremos alguns links destes serviços.

Por outro lado, temos muitos brasileiros que estão acreditando que este vírus não tem toda essa importância e aqui queremos reforçar a posição da SVLabs no sentido de esclarecer e conscientizar as pessoas de que estamos vivendo uma importante pandemia, que pode ceifar a vida de muitos brasileiros. Vamos repetir e reforçar a importância dos cuidados básicos para conter a rota desse vírus e para que possamos rapidamente sair da pandemia e voltar às nossas vidas normais.

 

Antes, vamos conhecer um pouco da história da COVID-19

Coronavírus é uma família de vírus que pode causar danos em animais e em humanos. Em pessoas, pode resultar em infecções respiratórias que vão desde um resfriado até síndromes respiratórias agudas severas. O novo coronavírus (SARS-Cov-2) causa a doença denominada Covid-19, que teve início na China, em dezembro de 2019.  

  1. Quais são os sintomas?

Tosse seca, febre e cansaço são os principais sintomas, mas alguns pacientes podem sentir dores no corpo, congestionamento nasal, inflamação na garganta ou diarreia. Nos casos mais graves, que geralmente ocorrem em pessoas que já apresentam outras doenças associadas, há síndrome respiratória aguda e insuficiência renal. 

  1. Qual o período de incubação do vírus?

O “período de incubação” significa o tempo entre a captura do vírus pelo ser humano e o início dos sintomas da doença. De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a maioria das estimativas do período de incubação do Covid-19 varia de 1 a 14 dias, geralmente em torno de 5 dias.

  1. Quem corre mais risco ao ser infectado por coronavírus? 

O Comitê Nacional de Saúde chinês divulgou que homens com mais de 50 anos e com algum problema de saúde eram mais da metade das vítimas de coronavírus. O levantamento apontava que a idade média das vítimas é de 75 anos. A Organização Mundial de Saúde não divulgou balanço com a idade dos infectados e mortos.

Segundo o médico infectologista Caio Rosenthal, uma série de fatores colabora para que idosos sejam mais afetados que a população em geral. Veja, abaixo, alguns deles:

  • O sistema imunológico dos idosos costuma ser deficiente por causa da idade
  • Mesmo as vacinas tomadas na juventude já não são tão eficazes, portanto há menos anticorpos no organismo
  • Os pulmões e mucosas tornam-se mais frágeis e vulneráveis a doenças virais
  • O idoso costuma engasgar e aspirar mais, inclusive levando mais a mão à boca, aumentando o risco de contágio
  • Ele também vai a hospitais com mais frequência, ficando mais exposto a micro-organismos

Em 16 de março, o diretor-geral da Organização Mundial de Saúde (OMS), Tedros Adhanom Ghebreyesus, informou que há registro de morte de crianças por causa do Covid-19. Até então, a entidade não havia informado sobre vítimas nesta faixa etária. Não foram dados detalhes sobre crianças afetadas.

  1. Como ocorre a transmissão?

Por meio de três formas:

  • Por vias respiratórias, pelo ar e por gotículas provenientes de espirros e da fala de indivíduos infectados;
  • Por contato físico, quando essas gotículas com o vírus alcançam mucosas do olho, nariz e boca por meio de beijos e abraços;
  • Por meio do contato de superfícies contaminadas, quando essas gotículas com o vírus ficam depositadas em locais como um corrimão ou uma maçaneta, e depois entram em contato com mucosas do olho, nariz e boca.
  1. O que você precisa saber e fazer. Como prevenir o contágio:

Higienizar as mãos e superfícies, como móveis e corrimão, são as principais formas de se prevenir contra o novo coronavírus. Mesmo com as mãos limpas, evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca. Além disso, é preciso limpar regularmente o ambiente e mantê-lo ventilado.

O uso de máscaras é recomendado somente para os casos abaixo:

  • Para quem está saudável, usar a máscara apenas se estiver cuidando de alguém que tenha suspeita de coronavírus
  • A máscara também deve ser usada por quem está tossindo ou com o nariz escorrendo
  • Nos casos em que se fizer necessária (citados acima), o uso da máscara deve ser combinado com a frequente higiene das mãos, com água e sabão ou utilizando álcool. Além disso, é preciso saber como utilizá-la da forma correta.

O Ministério da Saúde alerta também para que não seja feito o compartilhamento de itens pessoais, como talheres e toalhas. Também é recomendável manter a uma distância mínima de um metro de pessoas que estejam espirrando ou tossindo.

  • Lavar as mãos frequentemente com água e sabonete por pelo menos 20 segundos, ou usar desinfetante para as mãos à base de álcool quando a primeira opção não for possível;
  • Evitar tocar nos olhos, nariz e boca com as mãos não lavadas;
  • Evitar contato próximo com pessoas doentes;
  • Ficar em casa quando estiver doente;
  • Usar um lenço de papel para cobrir boca e nariz ao tossir ou espirrar, e descartá-lo no lixo após o uso;
  • Mão compartilhar copos, talheres e objetos de uso pessoal;
  • Limpar e desinfetar objetos e superfícies tocados com frequência.
  • Manter ambientes bem ventilados e higienizar as mãos após tossir ou espirrar.
  1. Animais de estimação podem transmitir o novo coronavírus?

A Organização Mundial da Saúde (OMS) está monitorando pesquisas sobre a relação entre animais de estimação e a Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus. Há registro de um cachorro com um nível fraco de infecção em Hong Kong. No entanto, até 15 de março a organização informava não haver evidência significativa de que pets possam ficar doentes ou transmitir o vírus.

  1. Que produtos de limpeza matam o coronavírus?

O novo coronavírus pode ser morto por produtos de limpeza desinfetantes de fácil acesso, como álcool 70%, água sanitária e até com a combinação de água e sabão.

“O vírus possui uma cápsula de gordura protetora, e a limpeza com estes produtos retira essa cápsula e mata o vírus”, afirma Wladimir Queiroz, infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, especialista em doenças infecciosas e parasitárias e membro da Sociedade Brasileira de Infectologia.

A boa notícia é que o coronavírus “não é um vírus muito complicado de matar, pois ele não é resistente no ambiente”, afirma Rosana Richtmann, infectologista do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, em São Paulo.

  1. Estou com suspeita de infecção por coronavírus. Como devo proceder? 

A recomendação do Ministério da Saúde é para que pessoas com sintomas gripais permaneçam em casa e em isolamento social por sete dias. Se os sintomas se agravarem nesse período, e a pessoa apresentar tosse seca e falta de ar, a recomendação é para procurar um posto de saúde ou consultório médico para avaliação clínica.

O ministério ressalta que as pessoas podem ou apresentar ou não febre. O hospital deve ser a última alternativa, quando o caso estiver mais grave. A pessoa que não passar pelo teste para confirmar se contraiu ou não o novo coronavírus mas apresentar os sintomas deve permanecer em casa e em isolamento social por sete dias e não sair em hipótese alguma.

Se os sintomas não melhorarem em sete dias, o isolamento deve ser prorrogado por mais sete dias. O uso da máscara em pessoas com Covid-19 não impede a transmissão do vírus, ressalta o ministério. O isolamento social e domiciliar visa minimizar a transmissão da coronavírus.

  1. Como é feito o tratamento?

Não existe tratamento específico contra a Covid-19. Os pacientes infectados recebem uma medicação para aliviar os sintomas. Ibuprofeno, corticoides e aspirina não devem ser usados por quem estiver infectado pelo novo coronavírus. Segundo o Ministério da Saúde, o tratamento indicado é repouso e consumo de bastante água. Antibióticos não devem ser usados, segundo a OMS, por serem capazes de combater somente infecções bacterianas, não as virais como no caso do coronavírus.

As medidas adotadas para aliviar os sintomas são:

  • Medicamentos para dor e febre (antitérmicos e analgésicos).
  • Umidificador no quarto ou banho quente para aliviar a dor de garanta e tosse.
  1. Vitamina D protege contra coronavírus? 

Segundo o Ministério da Saúde, não. Até o momento, não há nenhum medicamento específico para prevenir a infecção pelo novo coronavírus.

 

Importância do Isolamento Social

Devemos ter os seguintes cuidados para evitar a contaminação e a proliferação do vírus:

  • Pessoas mais velhas precisam estar em isolamento social, distanciando-os inclusive das crianças da família, evitando a contaminação interfamiliar;
  • Evitar sair de casa e, quando for inevitável, em casos de extrema necessidade como mercados e farmácias, retire a roupa que uso e, se não for lavar imediatamente, as coloque num saco plástico. O sapato que foi utilizado deve ser mantido do lado de fora ou ser desinfectado por solução de água e água sanitária, uso de máscaras e luvas e, se não tiver luvas, lavar bem as mãos ao retornar, desinfetando-as com álcool gel;
  • O isolamento social bloqueia o ciclo exponencial do vírus e pode colaborar muito com a erradicação da pandemia, se todos cumprirem rigorosamente com as recomendações!

 

 

Alguns serviços gratuitos:

 

Fontes: G1 e Ministério da Saúde